Menos notícias culturais na primeira página

A primeira década do século XXI fica marcada por um decréscimo de notícias culturais na primeira página. Em 2000, assinalámos 911 peças na totalidade das publicações; em 2010, apenas 639.

A evolução foi decrescente para todos os jornais, com excepção do Público. Neste diário, em 2010, a cultura até foi mais noticiada, passando a estar presente na primeira página em 32,% das edições (mais 17% do que em 2000). O Público reforçou assim a sua liderança em termos de visibilidade dos assuntos de cultura.

Em contraciclo, estiveram o Diário de Notícias, onde a cultura passou a estar presente em 25,9% das edições de 2010 (o valor foi de 22% em 2000); no Jornal de Notícias, onde passou de 18% para 15% e no Correio da Manhã, cuja percentagem de edições com cultura na primeira página passou de 12,5% para 7%.

Nas publicações semanais registou-se, não apenas uma redução do número de notícias culturais na primeira página, como uma mudança editorial relativamente a esse destaque: o Expresso, por exemplo, passou de um semanário onde habitualmente encontrávamos a cultura na primeira página (em 2000, tal aconteceu em 92% das edições), para um jornal onde praticamente não existem notícias culturais que mereçam esse destaque (em 2010, a percentagem baixou para 5% das edições).

A Visão registou igualmente uma enorme redução, com as percentagens relativas ao número de edições em que a revista publicou temas de cultura na primeira página a baixarem de 23%, em 2000, para 3% de edições em 2010.

 

A ROSA DO MUNDO
ralph lauren online,ralph lauren uk,cheap louboutins,louis vuitton bags uk,ralph lauren pas cher homme

Comments are closed.